sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Arte e Denúncia Social

Uma das preocupações da sociedade contemporânea são as desigualdades sociais que está cada vez mais se alastrando no planeta, a fome, a miséria, a falta de perspectiva que atingem milhares de pessoas no mundo inteiro, procedente da má administração das políticas públicas, onde muitas pessoas vivem em extrema situação de pobreza e calamidade social, sem direito a saúde, educação, moradia, saneamento básico, que são condições necessárias e imprescindíveis para que uma pessoa possa viver com dignidade.
O descaso da saúde pública, da educação é aparente no nosso país, o sistema político que deveria trabalhar em prol da população acaba desviando os recursos econômicos que deveriam ser empregados em programas e benefícios sociais. Esta é uma situação que preocupa muitos brasileiros atualmente, pois a corrupção é assunto principal nos noticiários, corrupção na saúde, corrupção na política, muitas vezes nos perguntamos: onde vamos parar? Além da má distribuição de renda, onde as riquezas se concentram com uma pequena parte da população, enquanto que outros vivem praticamente sem nada, em condições desumanas.
Podemos perceber nitidamente o retrato das injustiças sociais impregnadas nas obras do renomado Fotógrafo Sebastião salgado, que ressalta em suas obras a vida de pessoas excluídas, a pobreza da América Latina, a vida dos trabalhadores rurais, do desumano. Um trabalho maravilhoso que expressa tamanha dedicação e sensibilidade do artista diante do descaso humano, um trabalho que abre os nossos horizontes, que nos faz refletir e perceber o mundo a nossa volta.
Imagens belas e impactantes, carregadas de emoções que não passam despercebidas aos olhos humanos, quem não se comove ao ver tal situação estampada em uma fotografia que traduz a atual situação que se encontram muitas pessoas nesse momento.
Sebastião Salgado utiliza a arte como instrumento de denúncia e critica social, em suas obras as injustiças sociais tão aparentes em nosso país e no mundo.
A arte tem uma grande importância no processo de transformação social, por seu potencial investigador, podemos expressar as nossas indignações e utilizá-la como artifício de reivindicação e protesto.
A arte de Sebastião Salgado é tão real que mesmo aqueles que querem fechar os olhos para não ver, não conseguirão ficar inertes diante de suas obras, pois as imagens transparecem de uma maneira tão forte que é impossível para o ser humano esconder-se em seu mundinho egoísta, a vontade que temos é de clamar por justiça em busca de um mundo melhor.
Acredito que todos temos objetivos em comuns, pois almejamos obter sucesso profissional e pessoal, viver com dignidade e porque não desejamos tudo isso que aspiramos também para o nosso próximo? Vamos parar para pensar e tentar fazer a nossa parte, pois se todos nós pensarmos no bem estar, no bem comum o mundo com certeza tomará outro direcionamento: prosperidade mundial, progresso e justiça.
Entretanto, muitas vezes uma imagem pode expressar muito melhor o que queremos transmitir em palavras, pois elas estão munidas de significados, que dialogam com você apenas pelos sentidos, vamos fazer uma viagem nas obras de Sebastião Salgado e entender um pouco mais sua visão poética que estão explícitas em sua arte.





















































































































Autor: Sebastião Salgado

Técnica: Fotografia








Homenagem a Cantora Acreana Kelen Mendes

Kelen Mendes é dona de um repertório focado na MPB, incorporando ao estilo as tendências que influenciaram parte de sua geração como o pop, o funk, o soul e o rap. O seu primeiro CD foi uma homenagem a artistas regionais da MPB que fizeram sucesso na Rádio Difusora Acreana – a voz das selvas, canções que costumava ouvir quando adolescente. Músicas que fazem parte da história dos acreanos e que enfatizam bem a nossa cultura. Uma das músicas que fazem parte de seu repertório é de autoria de Tião Natureza compositor acreano que fez uma música em homenagem a Chico Mendes, considerado um grande herói e defensor dos seringueiros.




Ao Chico
(Tião Natureza)


Ecoou pela mata afora

Cai a flor

E a seringueira chora

De Xapuri

Chora o mundo inteiro

Morre o Chico

O Chico Rei Seringueiro

Mas essa mata que mata esse povo infeliz

Um dia há de fazer o Chico Rei

Seringueiro feliz.






Ficha Técnica:

Realização: Maria Rita de Lima Torres
Curadora: Maria Rita de Lima Torres

Reprodução Fotográfica: Imagens do Google

Equipe de Apoio: Andreza Galvão de Sousa