segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Atividade 4 | Assistir e resenhar o filme



O Show de Truman do diretor Peter Weir

O Show de Truman, O show da vida. Os principais personagens são Jim Carrey (Truman Burbank), Ed Harris (Christof), Laura Linney (Meryl), Natascha McElhone (Sylvia Garland), Paul Giamatti (Diretor da Sala de Controle).
Este filme é realmente fascinante, envolvente, dramático e ao mesmo tempo engraçado. As primeiras impressões que tive do filme foi como se a trama decorresse em um ambiente real, coisas estranhas aconteciam, mas só depois fui entender que se tratava de uma programa de televisão, transmitido 24 horas por dia, onde o personagem principal Truman Burbank vivia em um mundo aparentemente real, mas a sua vida não passava de uma mentira, tudo era irreal, as pessoas, o ambiente físico, tudo ao seu redor era uma mera fantasia, um espetáculo armado a céu aberto, a chuva, o sol, o vento era tudo controlado pela equipe de produção do programa através de sofisticados aparelhos tecnológicos.

Truman teve sua vida exposta pela mídia desde os seus primeiros dias de vida ainda no ventre de sua mãe, nasceu e cresceu na bucólica cidade de SeaHeaven como se fosse um cidadão normal, com esposa, vizinhos, amigos, mas o que ele não imaginava é que só a sua vida era real.
O programa era dirigido pelo diretor Christof que monitorava os passos de Truman, através das 5.000 câmeras espalhadas pela cidade responsáveis pela exibição do programa, Truman tinha uma vida totalmente manipulada, onde teria que agir de acordo com os interesses da direção do programa.

Percebemos nitidamente que os interesses da mídia no filme estão acima de qualquer conduta moral e ética, manipulavam a vida de Truman como se ele fosse um fantoche, sem sentimentos, sem poder de decisão ou de escolha. O interesse pelo poder, os lucros obtidos pela emissora eram mais importantes do que tudo, a vida de um homem era insignificante, se comparado aos interesses pessoais dos idealizadores do programa.
No desenrolar da trama Truman começa a desconfiar que sua vida não seja real e quer sair da cidade, tenta de todas as maneiras viajar para Fiji e não consegue, pois ele não pode abandonar a cidade se não será o fim do programa. Ele não desiste da idéia, depois de muitas tentativas frustrantes, finalmente ele consegue descobrir a verdade.

Gostei muito do filme é uma história bem interessante que nos faz refletir sobre os valores que nos são transmitidos pelo mundo ilusório das mídias eletrônicas, valores estes que nos são passados como verdades absolutas e que podem interferir negativamente em nossas vidas, por isso é importante assumirmos uma postura crítica diante das imagens televisivas para que saibamos distinguir fantasia e realidade.

Fonte de pisquisa:

Recriando imagens televisivas


A minha criação foi a partir de uma imagem da novela Caminho das Índias, fiz uma colagem por cima da imagem original, logo em seguida digitalizei e usei o software GIMP 2 e fiz algumas intervenções com a ferramenta pincel, dedinho e ferramenta de texto.

Ao manipular a imagem imaginei o seguinte: Pedro Álvares Cabral partia á caminho da índia, errou seu trajeto e sem querer descobriu os índios em 1500.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Atividade 2 | Assistindo novelas

Caminho das Indias

A novela Caminho das Índias escrita por Glória Peres exibida pela Rede Globo aborda questões bem diversificadas, mas o foco principal da história é voltado para a cultura indiana, aos costumes e tradições. A novela é destinada para jovens e adultos e apresenta temas voltados para conflitos amorosos, romances proibidos, violência, sexualidade, distúrbios psíquicos como: esquizofrenia, discriminação racial, como o caso dos dalets que são muitos descriminados na índia por não possuírem uma casta como manda a tradição mostrando claramente a divisão de classe social.

Um Dalet (intocável ) e um Brâmane (de classe)

As cenas apresentadas na novela, ora são do Brasil, ora da Índia, os personagens acabam conhecendo a cultura um do outro se deparando com as diversidades culturais de cada país havendo assim um confronto entre a cultura brasileira e indiana. Os valores sociais nos são apresentados de uma maneira bem controversa mostrando a incompatibilidade entre culturas. Os costumes da Índia são voltados para as tradições religiosas, crendices e superstições, a ética e a moral são definidas pelo seguimento dos costumes.
Assim como em toda novela os conceitos de justiça só aparecem no final, muitas injustiças acontecem, os vilões sempre conseguem dar a volta por cima por ter uma boa influência ou uma boa posição social.

A caracterização dos personagens principalmente os indianos são bem exuberantes, roupas elegantes, acessórios e jóias são primordiais, pois as mulheres têm que estar sempre impecáveis visualmente para agradarem seus maridos, as mulheres indianas em algumas cenas até criticam as brasileiras por não serem como elas.
A maioria dos personagens tem um padrão de beleza em comum são magras, bonitas e elegantes, tem sua maneira própria de falar uns falam através de gírias, como é o caso da personagem Inês que tem um estilo bem diferente dos demais e é descriminada pela mãe por ser diferente.


As propagandas apresentadas nos intervalos da novela são as mais variadas possíveis, desde produtos alimentícios á cosméticos. É certo que nem todos os produtos exibidos nos comerciais são acessíveis a todo o público que assiste à novela, mas alguns sim. Produtos da novela também são anunciados como brincos indianos e outros, que já estão virando moda aqui no Brasil como roupas e acessórios, até as gírias indianas já estão na moda.

Uma novela por mais contrastante que seja a realidade sempre vai acabar influenciando no comportamento das pessoas seja no modo de se vestir, de falar ou de pensar, entretanto o mais importante é que os telespectadores assumam uma atitude crítica e reflexiva diante dos fatos distinguindo realidade e ficção.

Se eu pudesse reescrever a novela mostraria a cultura indiana de uma forma mais real e atualizada, pois sabemos que o rio Ganges que tanto se fala na novela com águas límpidas e cristalinas é na verdade um depósito de restos mortais.

(Rio Ganges da ficção)

(Rio Ganges da realidade)



Fontes das imagens: páginas do Google

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Atividade 1 | Assistir e resenhar os filmes

Universidade Aberta do Brasil - UAB
Universidade de Brasília - UnB
Instituto de Artes - IdA
Licenciatura em Artes
Disciplina: Tecnologias Contemporâneas na Escola 3
Professor: Christus Nóbrega
Tutora a distância: Cecilia Mori Cruz
Aluno: Maria Rita de Lima Torres
Curso: Artes Visuais Turma: ArV3
Polo: Tarauacá-Ac

O quarto Poder(1997) do diretor Costa Gravas e o documentário Muito Além do Cidadão Kane(1993) do diretor Simon Hartog

O Filme “O quarto Poder” do diretor Costas Gravas é um filme bem interessante que nos faz refletir sobre o papel da mídia em nossa sociedade. O tema principal da trama enfatiza o poder que a mídia exerce sobre as pessoas, os principais personagens da história são: o jornalista Max Brackett ((Dustin Hoffman) e o funcionário de um museu que foi demitido Sam Baily (John Travolta). O Jornalista realizava uma matéria em um museu quando derrepente um ex funcionário desesperado invade o local em busca de reaver seu emprego de volta fazendo a diretora do museu Srª Branks e as crianças que estavam no local de reféns, onde acidentalmente dispara um tiro que atingi o seu ex colega de trabalho. O repórter Max não perde a oportunidade de conseguir a cobertura exclusiva do caso e retornar á fama. Entretanto a notícia foi se espalhando e várias emissoras de TV já estavam na frente do museu prontas para saberem mais sobre o que estava acontecendo lá dentro. O ex funcionário não tinha a intenção em disparar o tiro ou fazer mal a alguém, queria apenas fazer com que a diretora do museu pudesse ouvi-lo e dar-lhe seu emprego de volta. Com o episódio o repórter Max Bracket se aproveita da fragilidade de Sam para manipulá-lo frente a uma emissora de TV, dizendo que poderia mudar a opinião do público e provar sua inocência, bastava seguir suas orientações.
O repórter estava interessado em obter sucesso com a reportagem, não se preocupava com a ética e com a verdade. Sam ao invadir o museu pensando em resolver um problema, conseguiu complicar ainda mais sua vida com esta atitude impensada.
O papel da mídia no filme não é informar como deveria levando informações verídicas aos telespectadores, percebe-se isto quando os repórteres manipulam as entrevistas tentando com isso influenciar a opinião pública para atingir seus objetivos.
Ao analisar esta ficção posso falar que a mídia tem o “poder”, poder este que pode ser usado de uma forma negativa ou positiva, pode tanto construir uma imagem como destruí-la, como vimos no filme, quando as emissoras exibiam imagens positivas de Sam, o público ficava a favor dele, mas quando outras redes divulgavam imagens denegridas, o público se posicionava contra.
A mídia é um veículo que tem o poder de conduzir e influenciar nossas atitudes, de ditar padrões sociais e culturais que muitas vezes podem ser contrários á realidade, diante disto precisamos assumir uma postura crítica dos conteúdos que nos são abordados para que não sejamos manipulados por informações deturpadoras que trará beneficio para algum corrupto e prejudicará a vida de alguém ou até mesmo ao telespectador que por falta de ciência dos fatos deixou-se influenciar por uma informação alienada.
Após assistir e fazer algumas pesquisas sobre o documentário “Muito além do Cidadão Kane” do diretor Simon Hartog sobre a Rede Globo fiquei impressionada com o conteúdo deste documentário que revela muitas verdades sobre como a Rede Globo veio construindo o seu império ao longo do tempo, por trás do seu sucesso está o poder de manipular e de enganar o povo brasileiro, assim como vimos no filme o Quarto Poder, os interesses da emissora estão acima de qualquer ética moral, utilizam o poder da mídia em benefício próprio sem se preocupar com o destino do país e com a vida das pessoas. “O documentário acompanha o envolvimento e o apoio da Globo à ditadura militar, sua parceria ilegal com o grupo americano Time Warner (naquela época, Time-Life), algumas práticas de manipulação da emissora de Marinho (incluindo o auxílio dado à tentativa de fraude nas eleições fluminenses de 1982 para impedir a vitória de Leonel Brizola, a cobertura tendenciosa do movimento das Diretas-Já, em 1984, quando a emissora noticiou um importante comício como um evento de comemoração ao aniversário de São Paulo, e a edição, para o Jornal Nacional, do debate do segundo turno das eleições presidenciais brasileiras de 1989, de modo a favorecer o candidato Fernando Collor de Mello frente a Luís Inácio Lula da Silva), além de uma controversa negociação envolvendo ações da NEC Corporation e contratos governamentais à época em que José Sarney era presidente da República”. Estes e outros fatos tão importantes da história do país nos são negados de uma maneira irresponsável, pois com certeza todo brasileiro deveria ter o direito de assistir esse documentário por se tratar de um assunto que diz respeito a todos, mas infelizmente em países como o nosso o que prevalece é o poder do capitalismo e emissoras de TV como a Rede Globo vão continuar no poder produzindo discursos sensacionalistas.


Fontes de Pesquisas:

http://www.canaldaimprensa.com.br/canalant/cultura/setedicao/cultura4.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Citizen_Kane
http://gavetaoblog.blogspot.com/2009/02/brasil-muito-alem-do-cidadao-kane.html