quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Atividade 1 | Assistir e resenhar os filmes

Universidade Aberta do Brasil - UAB
Universidade de Brasília - UnB
Instituto de Artes - IdA
Licenciatura em Artes
Disciplina: Tecnologias Contemporâneas na Escola 3
Professor: Christus Nóbrega
Tutora a distância: Cecilia Mori Cruz
Aluno: Maria Rita de Lima Torres
Curso: Artes Visuais Turma: ArV3
Polo: Tarauacá-Ac

O quarto Poder(1997) do diretor Costa Gravas e o documentário Muito Além do Cidadão Kane(1993) do diretor Simon Hartog

O Filme “O quarto Poder” do diretor Costas Gravas é um filme bem interessante que nos faz refletir sobre o papel da mídia em nossa sociedade. O tema principal da trama enfatiza o poder que a mídia exerce sobre as pessoas, os principais personagens da história são: o jornalista Max Brackett ((Dustin Hoffman) e o funcionário de um museu que foi demitido Sam Baily (John Travolta). O Jornalista realizava uma matéria em um museu quando derrepente um ex funcionário desesperado invade o local em busca de reaver seu emprego de volta fazendo a diretora do museu Srª Branks e as crianças que estavam no local de reféns, onde acidentalmente dispara um tiro que atingi o seu ex colega de trabalho. O repórter Max não perde a oportunidade de conseguir a cobertura exclusiva do caso e retornar á fama. Entretanto a notícia foi se espalhando e várias emissoras de TV já estavam na frente do museu prontas para saberem mais sobre o que estava acontecendo lá dentro. O ex funcionário não tinha a intenção em disparar o tiro ou fazer mal a alguém, queria apenas fazer com que a diretora do museu pudesse ouvi-lo e dar-lhe seu emprego de volta. Com o episódio o repórter Max Bracket se aproveita da fragilidade de Sam para manipulá-lo frente a uma emissora de TV, dizendo que poderia mudar a opinião do público e provar sua inocência, bastava seguir suas orientações.
O repórter estava interessado em obter sucesso com a reportagem, não se preocupava com a ética e com a verdade. Sam ao invadir o museu pensando em resolver um problema, conseguiu complicar ainda mais sua vida com esta atitude impensada.
O papel da mídia no filme não é informar como deveria levando informações verídicas aos telespectadores, percebe-se isto quando os repórteres manipulam as entrevistas tentando com isso influenciar a opinião pública para atingir seus objetivos.
Ao analisar esta ficção posso falar que a mídia tem o “poder”, poder este que pode ser usado de uma forma negativa ou positiva, pode tanto construir uma imagem como destruí-la, como vimos no filme, quando as emissoras exibiam imagens positivas de Sam, o público ficava a favor dele, mas quando outras redes divulgavam imagens denegridas, o público se posicionava contra.
A mídia é um veículo que tem o poder de conduzir e influenciar nossas atitudes, de ditar padrões sociais e culturais que muitas vezes podem ser contrários á realidade, diante disto precisamos assumir uma postura crítica dos conteúdos que nos são abordados para que não sejamos manipulados por informações deturpadoras que trará beneficio para algum corrupto e prejudicará a vida de alguém ou até mesmo ao telespectador que por falta de ciência dos fatos deixou-se influenciar por uma informação alienada.
Após assistir e fazer algumas pesquisas sobre o documentário “Muito além do Cidadão Kane” do diretor Simon Hartog sobre a Rede Globo fiquei impressionada com o conteúdo deste documentário que revela muitas verdades sobre como a Rede Globo veio construindo o seu império ao longo do tempo, por trás do seu sucesso está o poder de manipular e de enganar o povo brasileiro, assim como vimos no filme o Quarto Poder, os interesses da emissora estão acima de qualquer ética moral, utilizam o poder da mídia em benefício próprio sem se preocupar com o destino do país e com a vida das pessoas. “O documentário acompanha o envolvimento e o apoio da Globo à ditadura militar, sua parceria ilegal com o grupo americano Time Warner (naquela época, Time-Life), algumas práticas de manipulação da emissora de Marinho (incluindo o auxílio dado à tentativa de fraude nas eleições fluminenses de 1982 para impedir a vitória de Leonel Brizola, a cobertura tendenciosa do movimento das Diretas-Já, em 1984, quando a emissora noticiou um importante comício como um evento de comemoração ao aniversário de São Paulo, e a edição, para o Jornal Nacional, do debate do segundo turno das eleições presidenciais brasileiras de 1989, de modo a favorecer o candidato Fernando Collor de Mello frente a Luís Inácio Lula da Silva), além de uma controversa negociação envolvendo ações da NEC Corporation e contratos governamentais à época em que José Sarney era presidente da República”. Estes e outros fatos tão importantes da história do país nos são negados de uma maneira irresponsável, pois com certeza todo brasileiro deveria ter o direito de assistir esse documentário por se tratar de um assunto que diz respeito a todos, mas infelizmente em países como o nosso o que prevalece é o poder do capitalismo e emissoras de TV como a Rede Globo vão continuar no poder produzindo discursos sensacionalistas.


Fontes de Pesquisas:

http://www.canaldaimprensa.com.br/canalant/cultura/setedicao/cultura4.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Beyond_Citizen_Kane
http://gavetaoblog.blogspot.com/2009/02/brasil-muito-alem-do-cidadao-kane.html

Nenhum comentário: